O que nos espera no digital em 2017?

Numa perspetiva global, a evolução do uso da internet em Portugal tem sido bastante positiva e podemos dizer que as taxas de crescimento estão acima das registadas noutros mercados europeus.

Se em 2015, 30% dos portugueses fizeram compras online, ultrapassando os 3,8 mil milhões de euros, estima-se que este número mais do que duplique até 2025, atingindo os 9,1 mil milhões de euros.

Mas uma vez que grande parte deste investimento é ainda feito em sites internacionais como o eBay, a Amazon ou o Booking, registando-se também um crescimento significativo de plataformas chinesas, como a AliExpress, é importante que as empresas portuguesas tenham conhecimento destes números. Ao investirem no online e colocarem os seus produtos à venda em plataformas eletrónicas irão reter clientes nacionais e atrair consumidores internacionais.

Crescimento do E-commerce acima da média europeia

Na sessão de abertura do Portugal Digital Week, o presidente da ACEPI, Alexandre Nilo Fonseca, apresentou os resultados do estudo que a Associação da Economia Digital realiza todos os anos para analisar a evolução do uso da internet, do comércio eletrónico e da presença online das empresas em Portugal. Deixamos-lhe algumas reflexões:

Se em 2010 metade da população portuguesa utilizava a internet, o ano passado essa percentagem aumentou para 70%, apesar de se manter ainda abaixo da média europeia. No entanto, a previsão para 2025 é que cerca de 90% dos portugueses estarão online.

Houve um crescimento de 15,7% no e-commerce em Portugal, ficando acima da média europeia (13,3%).

45% das compras online dos portugueses foram feitas em sites estrangeiros como o eBay, a Amazon, ou o Booking, e os itens mais comprados foram alojamento, bilhetes de transporte, vestuário e acessórios de moda.

As apps mais utilizadas foram o Netflix (16%), a Uber (11%) e o Airbnb (9%).

38% de todas as empresas portuguesas têm página na internet e só as que têm uma maior dimensão apostam no formato virtual (97%). Mas com esta crescente utilização da internet no dia-a-dia dos portugueses, é cada vez mais importante que as empresas aproveitem esta corrente.

As redes sociais têm despertado algum interesse por parte das empresas uma vez que são vistas como um meio de publicidade gratuito e atrativo e, por isso, 60% têm um perfil criado nas redes sociais.

A aposta no comércio eletrónico não é tão evidente, pois apenas 17% de todas as empresas ligadas ao ramo faz negócio desta forma.

Apesar de ainda haver um longo caminho a percorrer, o presidente da Acepi, Alexandre Nilo Fonseca, considera que Portugal já vê o digital como uma ferramenta importante para o crescimento do mercado empresarial.

O recente lançamento do selo Confio.pt, numa parceria entre a ACEPI, a DNS.pt e a DECO trouxe também uma consolidação do mercado, conferindo mais credibilidade às lojas online através de um selo de segurança também reconhecido na Europa.